Conheça obras de Michaela Coel, primeira negra a levar o Emmy de Melhor Roteiro

Você conhece a atriz, roteirista e dramaturga britânica Michaela Coel? Ela acaba de receber o prêmio no Emmy 2021 como Melhor Roteiro de Minissérie ou Filme para TV pela obra “I May Destroy You” (2020), que é baseada na própria história de sua própria vida.

Seu discurso, durante a premiação, foi além de revelar as motivações de escrita que levaram-na a roteirizar a série premiada, mas também serviu de incentivo para as próximas gerações. “Escreva o conto que te dá medo e insegurança, que é desconfortável. Eu te desafio, num mundo que fica tentando nos atrair para várias coisas diferentes. Não tenha medo de desaparecer só por um tempo e veja o que vem para você no silêncio. Dedico essa história a sobreviventes de abuso sexual.”, disse.

Confira a seguir algumas obras de Michaela Coel:

I May Destroy You (2020)
O Emmy 2021 veio pelo roteiro da obra I May Destroy You, série na qual Michaela Coel atua como protagonista, roteirista, autora e diretora. A minissérie conta a história de Arabela que sofre um abuso ao sair de uma festa. Ela foi drogada com o conhecido narcótico “boa noite cinderela” e estuprada por um desconhecido. Michaela fala sobre assédio, estupro, amizade, violência, LGBTQIA+ e lgbtfobia, internet e redes sociais e, apesar do tema pesado, ela consegue trazer leveza e bom humor em alguns momentos. A série está disponível na HBO Max.

Black Earth Rising (2018)
Black Earth Reason  é uma obra-prima escondida na Netflix. Na minissérie, Michaela Coel vive a investigadora de origem ruandesa, Kate Ashby, que foi resgatada e adotada durante o genocídio em Ruanda pela advogada especialista em Direito Penal Internacional, Eve Ashby (Harriet Walter). Ao lado do advogado Michael Ennis (John Goodman), Kate parte numa profunda investigação dos desdobramentos pós-genocídio, ora para defender a ruandesa Alice Munezero, ora tentar prender o genocida Patrice Ganinama. Mas Kate acaba esbarrando em sua própria história, num drama que deve ser acompanhado com muita atenção e respeito, pois, apesar de ser ficção, traz parte da história de centenas de ruandeses.

Chewing Gum (2015)
Chewing Gum é uma comédia escrita e protagonizada por Michaela Coel, como a gente disse, ela é múltipla. A série acompanha a vida da jovem Tracy Gordon (Michaela), que foi criada por uma família religiosa, mas decide perder a virgindade aos 24 anos de idade. Mas aí está o problema: ela não sabe por onde começar.

Sua opinião!

Gostou do artigo? Quero muito saber a sua opinião. Escreva um comentário!